Com o segundo melhor salário de carreira do Brasil, Tocantins supera em 36% a média salarial nacional para professores Com o segundo melhor salário de carreira do Brasil, Tocantins supera em 36% a média salarial nacional para professores

Hellen Flôr / Seduc

 

O salário de carreira do professor efetivo tocantinense é de R$ 3.233,39. Este é o segundo melhor salário pago ao profissional de educação no Brasil, ficando atrás apenas do Distrito Federal (DF). Considerando apenas os 26 estados brasileiros, sem DF, o Tocantins tem a melhor remuneração.

 

A Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc) realizou um levantamento consultando os setores de Recursos Humanos e de Comunicação de todas as secretarias estaduais de Educação e do Distrito Federal. A constatação é que o professor do Tocantins tem um dos melhores salários do Brasil.

 

Enquanto a média salarial nacional para professores em início de carreira, nível superior, 40 horas, é de R$ 2.363,38, no Tocantins o valor é R$ 3.233,39.  Comparando a média nacional com o que é pago no Tocantins, o governo do Estado paga 36% a mais ao professor.

 

Para a secretária de Estado da Educação e Cultura, Adriana Aguiar, o salário de carreira do professor como o segundo maior do Brasil é importante quando se avalia a valorização do profissional tocantinense. “Quando mostramos que nós temos o melhor salário do Brasil estamos constatando uma situação positiva em relação aos demais profissionais do País. E sabemos que o trabalho do professor merece sempre ser valorizado. O esforço deles em sala de aula tem, sem dúvida, ajudado o Tocantins a crescer em importantes índices, como o Enem”, disse.

 

Os dados do levantamento sobre os salários de carreira referem-se ao salário bruto, sem gratificações e em início de carreira do profissional.

 

Carga horária

Outra situação favorável à rotina de trabalho do professor efetivo do Tocantins está relacionada à carga horária, que é equilibrada entre o tempo em sala de aula e o de planejamento. No Tocantins, das 40 horas semanais, 24 horas são cumpridas em sala de aula e o restante é reservado ao planejamento. Com isso, o professor tem mais tempo para se dedicar ao planejamento das aulas, estudos e aperfeiçoamentos. (Colaborou Cléo Oliveira)

Nenhum Comentário

Nenhum comentário ainda.

Os comentários estão fechados.

Dados do Autor

Antônio Rubens

Sou jornalista, moro na cidade de Palmas - TO, Jornal Tocantins Agora crescendo cada vez mais.

EMAIL SITE /BLOG

Dados desta matéria

  • Postada dia: 25 mar 2014 as 9:53 pm
  • Visualisada/vezes: 90 Visitas
  • Comentários desativados
  • RSS do ARTIGO
  • Este post está em:

Publicidade